Porque adotamos livro didático!

 Livro Didático X Apostila

Na ânsia de oferecer ao filho um ensino de qualidade, é comum ver famílias em dúvida sobre que escola escolher: a que usa livros didáticos ou a que adota um famoso sistema de ensino. O Colégio BASIC, é a favor do uso de livros didáticos na sala de aula. O primeiro motivo é que o Colégio Basic defende que o professor seja um modelo para seus alunos. Para isso, ele precisa ter espaço para ser autônomo, pensante, autoral, dinâmico e reflexivo.

 

Com a adoção dos sistemas apostilados, torna difícil o professor desempenhar bem seu papel, pois o material é estruturado de maneira que ele não seja autor de suas propostas de trabalho. As atividades, a sequência de conteúdos e os próprios conteúdos estão prontos, fixos, dispostos de maneira linear e, muitas vezes, distantes do cotidiano dos estudantes. Tais sistemas medem o sucesso de alunos e de professores por meio de metas estabelecidas, de quantidade de aulas sequenciais vencidas.

 

"Quanto ao material utilizado pela escola (apostila ou livro didático), é necessário primeiro saber que o projeto pedagógico é o que vai dizer quais são os objetivos de aprendizagem pretendidos pela escola e, a partir deles, qual o material mais adequado. No entanto, as escolas que adotam material apostilado, em geral, apresentam o conhecimento de modo mais fechado e menos relativizado, dando menos margem a questionamentos, reflexões críticas e à criatividade. O uso de livro didático em geral é mais rico, apresenta os conhecimentos de forma menos pasteurizada e, se vários livros diferentes estão disponíveis para os alunos, maior é a possibilidade de construir pensamento analítico e crítico." Afirma Ângela Soligo, pedagoga da

Faculdade de Educação da Unicamp

Sendo assim, é fundamental refletir sobre as apostilas no ensino fundamental e médio: por mais organizadas que pareçam, sem um bom professor que possa abrir horizontes e suprir as lacunas que o material oferece, o aluno apenas ‘engole’ um conjunto de conhecimentos já ‘mastigados’. O estudante vai passando de ano até sofrer um grande susto no futuro, ao perceber que retém apenas um conjunto de conceitos fragmentados e não sabe estudar para aprender de verdade.